Óleo do Motor do Carro – Cuide Bem Dele Senão …

julho 14th, 2019

Vamos falar um assunto que poucos dão atenção, mas é o calcanhar de Aquiles para manter o motor de qualquer carro funcionando perfeitamente por muitos quilômetros, incluindo os modelos Honda. 

Se você tem aquela preguiça de ler ou está sem tempo, ouça no seu Spotify ou mais 8  plataformas para Podcast, sobre esse assunto do Lubrificante do motor em 5 blocos
Bloco 1 –  https://open.spotify.com/episode/24I435UuHRHMpivfQvO5VB
Bloco 2 –  https://open.spotify.com/episode/6BuZBPlP6lRluw7wCB9EoV
Bloco 3 –  https://open.spotify.com/episode/2q7IzEfuW5ni4zj0TVhMTr
Bloco 4 – https://open.spotify.com/episode/0T8Uw1CEyhxC1R5jlVPjNH
Bloco 5 – https://open.spotify.com/episode/0vteJD4uNIxVMfTqlJNWoe

O que significa a especificação “SAE 10W-30 API-SL” ?
Vamos a sopinha de letras e números

Viscosidade
SAE (“Society of Automitive Engineers” – Sociedado dos Engenheiros de Mecânica Automobilistica) – orgão que definiu os padrões de viscosidade do óleo em testes padrões

Os números
10W/30 – Significam que no padrão do SAE em testes submetidos à 100°C, a viscosidade do óleo é a seguinte :
– 10W (W= “Winter” inverno). Ou seja, para baixa temperatura 10 é a viscosidade do óleo segundo o padrão SAE nas temperaturas baixas.
– 30 – É a viscosidade no padrão SAE para altas temperaturas.

O SAE é a especificação de lubrificação para temperatura baixa e temperatura alta, ou melhor é o índice de viscosidade para cada faixa de temperatura. Se a Honda especifica o SAE 10W30 (existem opções ao óleo homologado e genuíno), você tem que segui-lá, pois foi o testado para o motor da Honda. A Honda também mudou a especificação do óleo em 2012 para o  SAE 0W20 – Sintético, inclusive causou muita polêmica esse assunto. 
Agora em 2019, ela modernizou o óleo SAE 10W30 com nova carga de aditivos e nova embalagem , porém ele continua sendo mineral 

Carga de Aditivos para os Tipos de Motor
API (“American Petroleum Institute” – Instituto Americano de Petróleo) – orgão que define e estabelece parâmetros, segundo os padrões exigidos pelos fabricantes de motores que utilizavam o óleo  lubrificante.

O API é uma especificação carga de aditivos e especificações de elementos químicos presentes no óleo para cada tipo de motor e quanto maior a letra depois do S em ordem alfabética, em relação ao especificado pelo fabricante, melhor é para seu motor. 
Exemplo, se um motor pede API S”J” e você colocar S”L” ou S”M“, melhor para o motor, pois é um óleo que  supera as expectativas e que foi projetado para atender as especificações dos motores modernos, mais atuais, que exigem mais lubrificação, resistência, durabilidade e suporte a altas temperaturas.

API-SL – as letras SL, definem que a especificação atende a motores fabricados à partir de 2001.

Quanto maior for a letra no alfabeto depois do S”?” ( exemplo “L”, é melhor do que o “J”) exigido pelo fabricante do seu motor , melhor para você, desde que siga o padrão “SAE” de viscosidade.

O maior padrão API do mercado é o SN atualmente (2019).

Portanto não adianta colocar a viscosidade certa , mas sem o API correto. O que não é bom , em se tratando de trocas onde você fará na distância ou tempo máximo especificado pela Montadora.
Você acertava na viscosidade, mas se trocava de 10mil em 10 mil ou de 12 em 12 meses, podia estar com o óleo vencido a muito tempo, sem conseguir manter a viscosidade em dia.

O certo mesmo é utilizar o SAE e o API indicado pelo fabricante. Mas no caso do API pode colocar um de especificação maior que não tem problema, mas como disse a Honda já pede o maior.

Posso Fazer as Troca do Óleo Usando Somente Como Parâmetro à Distância (Km) Percorrida ?
R: Isso infelizmente é um grande erro e faz aquele carro de garagem conservadíssimo depois de 8 anos de existência (tem baixa km e está intacto) ter muito provavelmente um Verniz forte ou até mesmo Borra.
Por isso, você que anda muito pouco com o carro, menos de 8 mil km por ano, faça as trocas do lubrificante por tempo e um conselho é que diminua os intervalos de troca para o uso severo ou seja no caso da Honda opte por trocas a cada 6 meses. 

Foto de um motor sem borra e sem verniz

Imagem relacionada

Foto de um motor com Borra.

 Resultado de imagem para borra de motor Honda

Existe algum problema em usar outro óleo, que não seja o homologado e comercializado pela Honda ?

R: Teoricamente, você seguindo a especificação SAE e API, não teria muitos problemas, mas existe algo que você não enxerganessa homologação que pode suplantar por exemplo o API SN, que estabelece parâmetros mínimos, mas o óleo da Honda pode suplantar algum elemento aditivo que outros óleos que atenda o API SN fazem o minimo que a norma pede. }
Se você gosta de esticar a troca ao limite de 12 meses ou de 10 mil km a cada troca no seu Honda, eu sinceramente utilizaria o lubrificante da Honda. 
Agora se você sabe o que o lubrificante da Honda tem e também sabe a composição do óleo que quer usar, pode arriscar. 
Só lembre de trocar o filtro do óleo e deixar drenar bem o óleo velho do motor

O que é TBN ?
R: O TBN( Total Basic Number) ou simplesmente BN, é um índice utilizado para lubrificantes usados em motores de ciclo Otto e diesel, que no nosso caso é o ciclo Otto. Esse índice é responsável pela propriedade de anular os efeitos químico do subproduto da combustão , no próprio óleo. Ou seja compostos ácido por exemplo que poderiam prejudicar as propriedades do lubrificante, com um TBN alto, as propriedades do óleo originais são mais duradouras. Em resumo a troca do óleo pode durar mais que em geral é o limite máximo colocado pela montadora para trocas.

Posso Misturar Sintético x Semi Sintético x Mineral ?

Resultado de imagem para nao

Mesmo seguindo o padrão definido pela montadora do SAE e do API, existe uma observação importante para não dar problemas ao seu motor. 

Jamais misture óleo Sintético com Mineral ou com Semi Sintético, pois a reação dessa mistura pode prejudicar o motor, a bomba de óleo e você pode ganhar até a famosa borra com essa mistura. 

Se você for trocar o óleo seguindo o SAE e o API especificado pela montadora, mas vai mudar de mineral para sintético ou semi sintético, você pode fazer, desde que esgote o máximo possível de óleo, portanto, faça troca por gravidade e troque o filtro de óleo.

Resultado de imagem para troca de óleo
Após essa mudança de tipo de óleo (por exemplo de Mineral para Sintético), faça a próxima uns 3 à 6 meses depois ou de 2,500 à 5.000 Km pela mesma especificação do óleo que optou na última vez, fazendo a troca do filtro novamente. Com isso, eliminará qualquer vestígio do penúltimo óleo. Á partir dessa troca, pode voltar as trocas como vinham sendo feitas seguindo o manual da montadora.  Isso também vale da mudança de semi-sintético para sintético.

Posso Usar um Outro Fabricante de Lubrificante ao Invés de Usar o Genuíno e/ou Homologado da Montadora  ?

Aí vai depender muito do que você entendeu das especificações do óleo lubrificante. Muita gente pensa que atendendo a viscosidade (SAE), o tipo de óleo ( mineral, semi-sintético ou sintético) e o API, está tudo certo.

Não é bem assim, pois fora essas especificações a montadora exige outros padrões do lubrificante, algumas são normas próprias da montadora , ou no caso das montadoras asiáticas elas adotam o ILSAC (International Lubricant Standardization and Approval Committee) como norma complementar ao lubrificante a ser usado. 

No caso específico da Honda até o momento é pedido o GF-5 ou GF-6. Portanto se no rótulo do óleo não estiver descrito essa norma como atendida, o uso desse lubrificante ficará totalmente por sua conta e risco. Existe a possibilidade dele atender e não ter sido homologado pela norma, mas também pode existir deficiência ou uma proporção menor de um determinado aditivo que a montadora precisa para seu motor.

Portanto para estar 100% seguro, ou você verifica se no rótulo d seu lubrificante de preferencia tem atendido a norma pedida pela montadora ou estuda essa norma e analisa se o óleo atende os parâmetros da norma, ou você arrisca e seja o Deus Quiser. 

Caso busque segurança, utilize o óleo homologado pela sua montadora que muitas vezes é rotulado por ela. 

Quem Faz o Óleo Lubrificante do Motor para a Honda Automóveis Brasil ?

Essa é uma pergunta que muita gente faz, porque pode ser uma opção mais segura e as vezes mais em conta do que usar o mesmo óleo , só que Genuíno Honda. 

Óleo 10W30 API SN (Mineral) 
Esse óleo foi repaginado em nova embalagem, com o layout novo da Honda e subiu seu API para o atual (2019) SN . O seu fabricante licenciado pela Honda é a Chevron, que é dona da marca Havoline . Porém certifique-se de que o Havoline seja o mesmo o original 10W30 API SN ( Mineral)

Óleo 0W20 API SN (Sintético) 
Esse óleo causou bastante polêmica em 2012, pois muitas concessionárias queriam usar só esse óleo principalmente no no New Fit. Só que essa geração do Fit até o modelo 2011 usava pelo manual o óleo 10W30 API SL (mineral) e de repente as concessionárias ou empurravam ou alegavam que não existia mais o 10W30 

Polêmicas e noticias desencontradas a parte a Honda em comunicado oficial, deixou a instrução ao concessionário que o manual do proprietário deveria ser seguido, portanto o fornecimento do óleo 10W30 permaneceria normalmente . E ainda ressaltava que a adoção do 0W20 apesar de ser mais eficiente, em carros mais antigos poderia gerar problemas e com isso ficou a instrução. 

No caso especifico do New Fit, o motor nessa geração não teve mudanças significativas a ponto de comprometer o uso tanto do 0W20 como do 10W30. Portanto se você mudou o óleo e fez o processo como falamos anteriormente de mineral para sintético, está tranquilo. Mesmo com esse comunicado oficial  da Honda.
 
Depois dessa pequena introdução bem mais rolo por aí. O fabricante desse lubrificante 0W20 API SN para Honda são :
– Chevron que produziu esse lubrificante até meados de 2014 , licenciado pela Honda e pela Idemitsu
– Total que atualmente é a produtora do lubrificante  licenciado pela Honda e pela Idemitsu (produtora de lubrificantes japonesa)

Pois bem como alternativa, desde que atenda as normas temos o lubrificante :
– Havoline 0W20 API SN (sintético)
– Total 0W20 API SN (sintético)
– Idemistu 0W20 API SN (sintético) 

O Idemistu é mais difícil de ser achado pelo Brasil a fora. Na cidade de São Paulo encontra-se esse óleo fazendo uma busca. 

Dica Fit Fans
Com esse assunto, mais o Uso em condições severas e o Mito do Flush Engine, sabemos que o óleo do motor não é um item qualquer. 
Fica a recomendação de 
– Usar o lubrificante correto e de qualidade.
– Respeitar os períodos de troca do óleo. Se anda pouco provavelmente usará o tempo como parâmetro. Se anda bastante a distância. Lebre-se é o que vencer primeiro
– Se você é um perfil que anda em condições severas (quase 90% das pessoas que lerem esse post são uso severo) lembre-se que os parâmetros de troca do óleo mudam no caso da Honda é a cada 6 meses ou 5 mil km o que vencer primeiro.
– Faça as trocas preferencialmente no estabelecimento onde faz revisão e reparos do seu carro.  Assim minimiza erros de aperto do bujão do cárter, do filtro de óleo.

Com isso você manterá a eficiência do seu i-DSI, VTEC, i-VTEC ou o recente Earth Dreams por um longo tempo, sem dor de cabeça